20 jul

Emmy Noether e sua revolução histórica

Não deve ter sido fácil ser mulher entre os séculos XIX  e XX. Entretanto, algumas mulheres batalharam por seu lugar ao sol e é graças à elas que as mudanças começaram. Apesar de sua importância para nossa realidade, muitas não são tão conhecidas. Emmy Noether é uma dessas.

Classificada por Einstein como “genial“, Noether teve que transpor muitas dificuldades antes de deixar seu nome marcado na história da matemática. Seu trabalho é fundamental para a compreensão da teoria da relatividade e todas as teorias da física.

 Emmy Noether: Começo da Carreira

Nascida em 1882, filha do matemático Max Noether, descendente de uma família de judeus, ela decidiu cursar a faculdade de matemática aos 18 anos. Seu plano era estudar na universidade onde o seu pai lecionava, a Universidade de Erlangen-Nuremberg.

Isso pode parecer normal hoje em dia, mas naquela época, mulheres não era aceitas na universidade.

Ela demorou dois anos para conseguir ser aceita, porém sem os mesmos direitos que os homens. Emmy precisava de autorização dos professores e só podia assistir às aulas como ouvinte.

Noether conseguiu se formar, entretanto não foi fácil trabalhar. Ela trabalhou na Erlangen-Nuremberg por sete anos, sem receber salário.

Em 1915, o matemático alemão David Hilbert levou-a para lecionar na Universidade de Goettingen, mas isso não agradou seus colegas. Chegaram até a afirmar que os soldados que estavam lutando na Primeira Guerra, não mereciam voltar para casa para descobrir que uma mulher estava lecionando na Universidade.

Por isso, ela teve que dar aulas como se fosse David Hilbert, mas ainda assim continuou a trabalhar sem nenhum salário.

Graças à seu talento para lecionar e para as pesquisas, ela conseguiu – ao final da Primeira Guerra – ser reconhecida pela universidade e por seus alunos. Inclusive, os alunos ficaram conhecidos como os “meninos de Noether“.

O matemático holândes B. L. van der Waerden, usou o trabalho dela como base para o segundo volume de seu livro “Moderne Algebra”. Dessa forma, Emmy Noether se tornou a criadora da álgebra moderna.

Histórico de Trabalhos

No começo da carreira Emmy trabalhou com a teoria dos invariantes e dos corpos numéricos. Isso deu origem a um dos mais importantes teoremas matemáticos: o Teorema Noether.

Depois, a publicação do seu artigo Idealtheorie in Ringbereichen (“Teoria de ideais nos domínios dos anéis”), mudou a forma como o mundo lidava com a álgebra abstrata.

No fim da carreira – especialmente depois que se mudou para os Estados Unidos – foi quando ela mais trabalhou com operações não comutativas e números hipercomplexos. Tendo sido nessa época que seus principais artigos foram publicados.

Em um dos trechos de uma carta de Einstein sobre a morte de Emmy, ele disse: “No campo da álgebra, do qual os matemáticos mais talentosos vêm se ocupando por séculos, ela descobriu métodos que provaram ser de enorme importância no desenvolvimento da geração atual dos jovens matemáticos”.

A expulsão da Alemanha e o fim da vida

Como tantos outros judeus, Emmy foi obrigada a deixar seu país e seu trabalho por causa da Segunda Guerra Mundial. Primeiramente, ela foi demitida da universidade, mas começou a receber os alunos em sua casa. Entretanto, quando a situação se tornou insustentável, ela saiu da Alemanha, partindo para os Estados Unidos.

Ela continuou dando aulas e trabalhando como pesquisadora, porém, infelizmente, ela morreu cedo.

Em 1935, os médicos a diagnosticaram com câncer na pélvis. A cirurgia foi um sucesso, porém complicações no pós operatório acabaram levando-a a óbito. Emmy tinha 53 anos.

Fontes 1 e 2

Leave A Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *