26 jun

Estudo revela que 46% das meninas não tem confiança

O estudo

O estudo ‘Girls Index’ foi realizado pela organização Ruling Our eXperiences – organização não governamental que ajuda no desenvolvimento profissional de meninas – nos Estados Unidos.

O objetivo do trabalho era entender algumas diferenças entre meninas que estavam no Ensino Fundamental e as que já estavam cursando o Ensino Médio. Para o estudo foram entrevistadas 10.678 meninas em diversos estados do país norte-americano.

De acordo com a pesquisa, as meninas se tornam menos confiantes com o passar dos anos. Enquanto 86% das estudantes do quinto ano do ensino fundamental afirmaram se considerar autoconfiantes, apenas 62% das que estão cursando o último ano do ensino médio afirmaram ter confiança em si mesmas.

Além disso, 46% das garotas na faixa etária entre 15  e 17 anos afirmaram que não se sentem inteligentes o suficiente para conseguir seguir a carreira com a qual elas sonham. A pesquisa também analisou esse dado apenas através das respostas das alunas com notas altas o suficiente para estudar nas melhores universidades americanas e 30% delas não sente que sua inteligência as capacita para as profissões desejadas.

Outro fator que compromete o desenvolvimento profissional dessas meninas é a divisão – criada pela sociedade e aceita por elas – de que algumas carreiras devem ser seguidas por homens e outras por mulheres.

O papel de líder, por exemplo, foi rejeitado por uma em cada três garotas, sob a justificativa de que elas têm medo de serem consideradas mandonas. Além disso, 8% afirmaram que homens são líderes melhores.

A aparência também é um fator que preocupa e demonstra o quão baixa está a autoestima delas. Apenas 20% das meninas do ensino fundamental afirmou que mudaria alguma coisa na aparência, porém 60% das garotas do ensino médio fariam mudanças.

Esse dado sobre a estética feminina tem muita relação com o uso das redes sociais e isso é comprovado por uma estatística que também foi apresentada na pesquisa: meninas que ficam mais tempo em redes sociais tem 24% mais chance  de querer mudar traços da aparência física.

 9 em cada 10 meninas acham que engenharia é “coisa de menino”

A Disney financiou uma pesquisa em São Paulo, Buenos Aires e na Cidade do México. Foram analisadas entrevistas feitas com crianças, pais e professores, de média e baixa renda.

O estudo apontou que profissões ligadas a Matemática, ciência, tecnologia e engenharia, são associadas, pelas crianças, a ocupações de pessoas “muito inteligentes e importantes”.

Quando se trata da questão de gênero na escolha das profissões, apesar de oito em cada dez responsáveis afirmarem que apoiariam as filhas que decidissem trabalhar com Matemática, ciência, tecnologia ou engenharia, nove em cada dez meninas – de seis a oito anos – acham que essas áreas são “coisas de meninos”.

 

 

    Comments

Leave A Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *